Há vida lá fora

Algum dia entre o final de 2004 e início de 2005, escrevi o seguinte texto para descrever a mim em meu primeiro perfil no orkut:

"Sou um raciocinador anguloso, sensitivo e aventureiro, de uma capacidade flexibilizante peculiar. Passei pelo descarrego memorial antes de vir em missão ao planeta Terra (procedimento padrão para agentes intergaláticos), o que apagou momentaneamente toda a memória anterior à chegada neste planeta."

Estava inspirado e bem humorado naquele dia, e até hoje adoro esse texto e ainda o utilizo. Mas apesar de bem humorado e debochado, esse texto é muito mais que uma piada. Expressa um sentimento íntimo em relação ao mundo e a mim mesmo.

Um dos grandes segredos dos melhores programas de comédia é dizer a verdade. Certas verdades reprimidas, que a ética, o politicamente correto e os processos judiciais impedem a nós, jornalistas, meios de comunicação de dizer. Mas nos programas de comédia vale tudo. Grandes verdades são ditas apenas em tom de comédia, e todos dão risada. Grandes verdades que todos reprimem e ninguém pode dizer se não for de forma disfarçada. Os Simpsons, Casseta e Planeta... dizem muito mais verdades que telejornais. Nos anos 70, Larry Flint, fundador da revista pornô Hustler, chocou a conservadora e religiosa sociedade estado-unidense com notícias escandalosas sobre um líder religioso. Escapou do processo alegando o tom de comédia da edição e que as mentiras eram tão escandalosas que ninguém levaria a sério tais acusações contra alguém notoriamente honrado, portando, demonstrando que seus fiéis não areditavam na publicação contra a palavra de seu líder, foi inocentado por não ter prejudicado a imagem da vítima. Mas as comédias podem dizer o que nós reprimimos, e rimos por ver alguém dizendo a verdade.

Em 2008, após um grande trauma amoroso, e a leitura de um livro, me interessei por Psicologia. Na prateleira de uma livraria, o título de um livro me chamou atenção pelas palavras Mentes Inquietas. Ao prestar mais atenção no livro, tive o primeiro contato com o tema sobre TDA-H ou DDA. Fiquei curioso e pesquisei na internet sobre o assunto. Me identifiquei com o problema, entrei em comunidades no orkut, me informei. Ali estavam respostas para alguns de meus problemas. Mais tarde entendi melhor sobre depressão e distimia, mal do qual sempre sofri, desde a infância. Cerca de um ano depois destas primeiras informações, fui a palestra de uma psicóloga sobre TDA-H e ouvi falar pela primeira vez o termo "Crianças Índigo". Fiquei curioso mas nunca pesquisei, até que, ainda curioso, ontem me deparei com um tópico sobre esse tema no orkut. Ainda li mais um pouco a respeito e, resumindo, Crianças Índigo é praticamente uma explicação de outro ponto de vista para o que a Psiquiatria chama de TDA-H. Pelo que entendi. Crianças Índigo são seres humanos cujo espírito foi enviado de outra galáxia para encarnar na Terra. Como espíritos de um mundo mais evoluído, vieram para ajudar na evolução da raça humana na Terra, modificando paradigmas e desenvolvendo soluções mais evoluídas, elevar o padrão ético e moral, enfim... vamos admitir isso como verdadeiro.

Uau! Seres de outro mundo vivendo entre nós para ajudar a raça humana a superar problemas que a séculos prejudicam a sociedade, que maravilha, muito obrigado ETs! Valeu mesmo! Sejam felizes aqui na Terra e quando volterem ao seu mundo mande um abraço ao pessoal lá, agradeça a eles por mandarem vocês e diga pra eles aparecem aqui pra tomar um café! Bem, seria muito legal essa reação. Mas a grande verdade é que a população deste planeta não está preparada para este choque. A reação não seria, nossa, muito obrigado pela preocupação e pela ajuda. Não... os governos no mundo inteiro não ocultam a verdade a toa. Se um etezinho cabeçudo aparecesse na sua frente, o que você faria? Alguns matariam a pau, outros teriam um ataque cardíaco e outros gritariam pedindo a Jesuis pra expulsar o diabo. Isto porque ETs tem aparência humanóide. Quantas espécies animais já foram extintas vítimas da estupidez e ignorância humana, que após sofrer as consequências aprendeu a dar valor aos animais, reconhecer sua importância, mas não por respeito a vida, e sim por reconhecer a necessidade destes animais no ciclo da vida na Terra. Não existe preocupação com os animais, mas sim com os próprios humanos. A industrialização, a agricultura e agropecuária dizimaram populações animais, direta ou indiretamente.

Essa semana assisti ao quarto filme da série sobre o psicopata Hannibal Lecter, a Origem do Mal. Passado nos anos 50, em uma cena, um açougueiro francês perguntou a uma japonesa se ela tinha a vagina na horizontal. Imagino que tal crença fosse comum naquela época, já devo ter ouvido algo a respeito. Mas vamos relevar... hoje em dia ficamos muito mal acostumados com o Google, Wikipédia... dia desses folheei uma enciclopédia em livro na casa de minha avó. Incrível como o mundo mudou nos últimos 10 anos, graças a Revolução Digital e Internética. Quando fiz o colégio não existia Wikipédia. A década de 80, quando nasci, aos padrões de hoje já parece um tanto bizarra, outra realidade, outro mundo. Imagino os anos 50 quando sequer minha mãe havia nascido. Bem bizarro... faz apenas 50 anos, os homens comentavam sobre as vaginas horizontais das japonesas. A 100 anos atrás, japonesas só existiam no Japão. A humanidade ainda não conhecia o conceito de galáxia... que ainda hoje grande parte ignora. Apenas agora estão sendo "descobertos" os primeiros planetas fora do sistema solar. A 500 anos Nicolau Copérnico foi queimado na fogueira por dizer que a Terra era redonda. Até hoje Darwin é considerado porta voz do diabo pela Teoria da Evolução. Grandes gênios da humanidade foram perseguidos e considerados loucos, enquanto líderes guerreiros foram dignificados em toda a história. E ainda hoje algumas nações cultivam a cultura da guerra, se considerando ao mesmo tempo como superiores. Enquanto isso ambientalistas, os loucos e chatos dos anos 80, tem suas profecias de 20 anos atrás mostradas ao vivo na televisão, enquanto a humanidade começa a se preocupar com a saúde do planeta e líderes mundiais empurram o problema com a barriga em defesa do crescimento econômico.

Quem dera seja verdade que civilizações de outros cantos do Universo estejam preocupadas em ajudar a evolução dessa racinha humana. Quem sabe o significado da palavra Deus tenha alguma coisa a ver com uma civilização de outra galáxia, de outra dimensão... quem sabe essa difícil noção de que Jesus é parte de Deus e enviado dele, filho dele, enviado a este mundo para nos salvar... Jesus veio ao mundo pregando o amor. Disse para ter fé em Deus. Jesus não pregava dentro de uma igreja, não tinha bens materiais... em seu nome foram travadas guerras e cometidas torturas, assassinatos e uma ditadura religiosa que dominou a época hoje chamada de Idade das Trevas. Em nome daquele que pregou o amor, o perdão, a humildade e a fé em Deus. Mas então se encontram povos diferentes, culturas diferentes, culturas em que ambas alguém um dia pregou o amor. Mas o que pregou o amor a um povo, não foi o mesmo homem que pregou o amor a outro povo, portanto, esses dois povos não tem outra escolha a não ser querer matar o povo que diz que outro homem estava certo quando pregou o amor e a fé em Deus. Todos falam de amor e fé em Deus. Mas se cada um tiver um nome diferente para Deus, é guerra.

Uau! Seres de outro mundo vivendo entre nós para ajudar a raça humana a superar problemas que a séculos prejudicam a sociedade, que maravilha, muito obrigado ETs! Valeu mesmo! Sejam felizes aqui na Terra e quando volterem ao seu mundo mande um abraço ao pessoal lá, agradeça a eles por mandarem vocês e diga pra eles aparecem aqui pra tomar um café!

A dois mil anos atrás Jesus Cristo foi crucificado na cruz, depois de torturado e açoitado. Os que hoje seguem a Jesus, condenam os que seguem Maomé, que condenam os que seguem a Jesus, e todos condenam os que seguem a Buda, e todos pregam o amor ao próximo. Desde que o próximo seja igual a você. Se não, deve matá-lo, caso ele não concorde com você. Puxa vida, esses ETs vão ter trabalho pra quebrar os dogmas desse mundinho... Os dogmas religiosos estão aí a séculos e até hoje ninguém entendeu nada. Imagine mudar os paradigmas dessa sociedade... vai precisar de muito ET... e de preferência que eles venham armados até os dentes, porque é disso que esse povo gosta. Se vier falando de paz e amor vão ser crucificados. Porque a cabecinha não muda... os fatos do passado as vezes são esclarecidos, mas os erros se repetem. E como dizem os defensores dos animais, o ser humano ainda consegue se considerar o únio animal inteligente.

A questão de haver vida fora da Terra ainda hoje é polêmica. Por aí já se vê o quanto é limitada a capacidade mental dessa população. Só acredita em alguma coisa se tiver provas. Desperdiça uma fortuna em tempo e recursos financeiros para pesquisar e procurar a vida fora da Terra, em outras estrelas, como se isso pudesse fazer alguma diferença na vida aqui... enquanto isso, destrói a vida que existe nesse planeta, vida que nesse ecosistema faz diferença. Vida que deveria ser pesquisada, vida submarina, tão ignorada... a raça humana tem muito mais a ganhar no fundo dos oceanos do que na Lua ou em Marte.

É bom que se tenha cuidado ao lidar com seres estranhos. Porém, a 50 anos atrás, pré-conceitos estúpidos geravam conflitos. O século 20 foi marcado por guerras, conflitos de origem econômica, cultural, ideológica. O último milênio foi marcado por guerras e batalhas religiosas. Um dia, as diferenças genéticas e culturais entre asiáticos, africanos, indígenas e europeus, representavam um abismo. Hoje em um mundo globalizado, de comunicação fácil e conhecimento acessível, essas diferenças enormes se reduziram. Afinal de contas, além das diferenças visíveis, o que existe de semelhança entre nós e aqueles pequenos seres cabeçudos?

Daniel Coelho
11/12/2009
.pdf : arquivo para impressão
Filosofia : menu de textos
CoelhoVoador.net : página inicial
TocadoCoelhoVoador.blogspot.com : meu blog